• Críticas
  • Lista61

Premiado Com Os Punhos Cerrados estreia para incomodar

Textos relacionados

*Por Clara Camarano – contato@cine61.com.br

Três jovens clamam pela liberdade, seja esta ideológica, política, social e pessoal. João, Eugênio e Joaquim criam um movimento próprio, que fere e incomoda, inclusive visual e sonoramente. Afinal, a ideia é chamar a atenção e, de fato, incomodar. Se o movimento é anárquico, a dúvida é gerada em torno do conceito de anarquia. Para estes, é o oposto de confusão, de bagunça, mas apenas o livre-arbítrio de dizer, sem papas na língua. É com este grito contextual para o século 21 que o longa-metragem Com Os Punhos Cerrados está em cartaz nos cinemas.

A produção levou os troféus de melhor filme no Festival de Cinema Luso Brasileiro, em Portugal; no Festival Cine/B, no Chile; no Transcinema Festival Internacional de No-ficción, no Peru; e ainda júri popular no Cine Under, em Recife. Prêmios à parte, vale destacar que, neste longa de baixo orçamento, os diretores também são os atores –  Luiz e Ricardo Pretti e Pedro Diogenes. Com o carimbo do grupo Alumbramento, de fato vale aplaudir a linha de raciocínio e esta quebra que eles conseguem fazer e até revolucionar o cinema tupiniquim. 

Uma quebra de paradigmas, que banha-se em um certo dadaísmo para criticar o mundo de hoje. Afinal, o trio de diretores mantém uma linha similar vista em produções como Estrada Para  Ythaca (2010) e Os Monstros (2011). A sinopse é também contestadora e agrada quem lê. São três homens em busca de uma revolução com o intuito de desfazer as amarras. Para isto, e com o cenário de Fortaleza e de uma praia deserta que remete a um paraíso perdido, eles invadem as transmissões de rádio da cidade com músicas, poesias, declamações ácidas e arquivos de som. Ainda abusam de citações que visam incomodar os poderosos e falar de sexo e da hipocrisia humana, sem pudor. 

Tudo muda quando eles conseguem este incômodo e a presença da atraente Salomé (Samya de Lavor), uma reles ouvinte que resolve se juntar ao grupo. O tema é realmente interessante. mas passar uma 1h14 pode se tornar bem cansativo para quem não curte uma produção lenta que abusa das câmeras paradas, de longas narrativas críticas e da falta de um maior diálogo que é consumido exatamente por esta narração e de ruídos sonoros propositais, que acabam se elevando à voz de quem fala. Um mérito em quebras narrativas em tempos atuais no cinema do Brasil, mas que deixa uma certa exaustão que nem sempre fará os reflexivos levarem a reflexão para casa. 

Cotação do Cine61Cine61Cine61Cine61

Veja aqui o trailer do filme Com os Punhos Cerrados:


Com os Punhos Cerrado (2014, Brasil) Dirigido por Pedro Diógenes, Luiz Pretti, Ricardo Pretti. Com Ricardo Pretti, Pedro Diógenes, Luiz Pretti, Santa De Lavor, Uirà dos Reis, Rodrigo Capistrano…

não deixe de ler

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Publicidade

Veja também

Perfil: Tudo sobre o cineasta chinês Zhang Yimou

Zhang Yimou foi aclamado como um dos mais ambiciosos e influentes cineastas, não apenas em sua terra natal, a China, mas também no mundo...

Conheça o diretor Felipe Sholl

Felipe Sholl é formado em Roteiro pela Escola de Cinema Darcy Ribeiro e em Jornalismo pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Fala...

Cinema Especial – Drew Barrymore

Drew Barrymore faz sucesso com o público há quase três décadas. Também é bem-sucedida atrás das câmeras, como produtora, com sua própria empresa Flower...