Aquaman é um divisor de águas nos filmes de super-herói

Se existe uma briga maior que a guerra infinita dos Vingadores é a rivalidade entre os fãs dos quadrinhos DC e Marvel. Pois bem, se existia alguma dúvida que os filmes da DC não eram tão bons, isso acabou com Aquaman. O filme é ótimo e supera todas as expectativas, fazendo com que os inúmeros trabalhos de adaptação do diretor Zack Snyder caiam no esquecimento. E o crédito vai para malasiano James Wan, um verdadeiro coringa da indústria cinematográfica que se sai bem em vários gêneros. E com o desafio de comandar um filme de super-herói não foi diferente.
Dos membros da Liga da Justiça, pode-se dizer que Aquaman foi um dos heróis menos destacado. Por isso havia uma grande chance do filme não decolar. Vale ainda lembrar que a capacidade do Aquaman de se comunicar com peixes e seus poderes especiais poderiam parecer um tanto bregas na telona. Mas não é o que acontece. O longa-metragem é grandioso, poderoso e, sobretudo, épico. O roteiro apresenta a história de Arthur desde o início, explicando a origem do herói. Entretanto, a narrativa não segue o óbvio caminho da linearidade – algo tão comum nesses filmes de origem, isto é, que procuram apresentar um novo personagem.
Intercalando flashbacks de forma a fugir do lugar-comum, a história não perde o pique. A trama fala sobre uma iminente guerra entre os povos do mar (descendentes de Atlântida) com os seres humanos que vivem na superfície. Para impedir que tsunamis e uma tragédia maior aconteça, Aquaman deve aceitar seu destino de se tornar o grandioso rei dos mares e impedir que seu irmão conduza uma batalha que causará inúmeras mortes. Diferentemente do que se pode imaginar, o protagonista não é um exemplo de bondade. Não é como um Superman, por exemplo. Ele erra, tem seus defeitos e se aprimora durante toda a projeção, seguindo a famosa jornada do herói.
Aquaman é um ótimo filme de super-herói por vários acertos. James Wan trouxe um frescor para a produção, incluindo momentos assustadores (herança de sua trajetória no universo do terror – com direito a uma participação da boneca Annabelle); o elenco traz premiados nomes, como Nicole Kidman, Patrick Wilson e Willem Dafoe (além dos protagonistas jovens); a ação não deixa nada a dever para filmes de ação (Wan tem experiência no gênero, pois dirigiu Velozes e Furiosos 7) e criou sequências onde a porrada come solta – com destaque para uma perseguição genial na Itália; as personagens femininas são fortes; os efeitos especiais são usados na medida certa, sem parecer tudo um grande video-game. A parte das imagens, por sinal, é uma das principais qualidades. Aquaman é um longa bonito, com cenários, figurinos e cores incríveis. Um grande trabalho que, com o perdão do trocadilho, tem tudo para ser um divisor de águas nos filmes de super-heróis.
Cotação do Cine61: Cine61Cine61Cine61Cine61
*Por Michel Toronaga – micheltoronaga@cine61.com.br


Veja aqui o trailer do filme Aquaman:

Aquaman (EUA / Austrália, 2018) Dirigido por James Wan. Com Jason Momoa, Amber Heard, Willem Dafoe, Nicole Kidman, Patrick Wilson, Dolph Lundgren…


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui