• Críticas
  • Lista61

Simonal: cinebiografia mostra o sucesso e ruína do cantor

Textos relacionados

Filme dirigido por Leonardo Domingues, Simonal conta a história do simpático cantor que fez sucesso durante as décadas 60 e 70, no auge da ditadura no país tropical. Wilson Simonal de Castro (1938-2000) é interpretado por Fabrício Boliveira. O longa-metragem retrata a ascensão e queda de um astro que exalava encantos e sorria como ninguém em uma época sombria do país. O artista ficou famoso por canções como Rei da Pilantragem e a simples Meu Limão, Meu Limoeiro, que o fez atingir notoriedade. 
O longa mostra desde seu início em um grupo chamado Dry Boys até ser notado pelo empresário Carlos Imperial (Leandro Hassum), que o lançou para as paradas de sucesso. A biografia se mostra como uma retratação histórica para o cantor, visto que não tem medo algum de colocá-lo em um pedestal, embora também mostre todos os seus lados, desde o alegre até os seus momentos de surto, ressaltando também seu desespero, ganância e um lado dormente que revela a preocupação com a luta histórica por direitos iguais. Algo que pode ser percebido na canção Tributo a Martin Luther King. A música foi vista como uma afronta pelo Departamento de Ordem Política e Social (DOPS), onde Simonal foi interrogado.
A partir deste momento podemos ter uma noção de que a carreira do cantor sofreu turbulências e ruiu após escândalos envolvendo tortura, supostas delações e traição. A biografia também tem participação de Isis Valverde, que interpreta Thereza, esposa de Simonal. Sua atuação está impecável, assim como Fabrício Boliveira, que entrega um Simonal à altura do artista que levou milhares de pessoas ao delírio no histórico show do Maracanãzinho. Apesar da montagem deixar a desejar (a não ser pelo belíssimo plano-sequência logo no início do longa), com cenas externas que pareciam ser retiradas de bancos de vídeos para retratar o Rio de Janeiro da época. O filme conta bem a história de um artista que teve sua história marcada pelo céu e inferno em seus extremos. Outro ponto a se destacar são alguns personagens que poderiam ter tido mais impacto na história, como seus amigos da Dry Boys, além de mais conflitos da época. Mas a biografia funciona bem em mostrar como Simonal foi manipulado pelas circunstâncias e cego pela fama e pelo dinheiro, se deixando levar por certas influências e por sua vaidade. 
O filme é necessário para entendermos melhor a história pessoal e artística de Simonal, que sempre teve sua biografia nebulosa. Além de entendermos uma época que precisa sempre ser relembrada pela população, é uma história sobre um cantor de décadas passadas, mas que perdura até hoje. É preciso trazer histórias como estas à tona para que a gente entenda melhor o passado para refletirmos sobre o presente e agirmos por um futuro menos nebuloso. 

Cotação do Cine61: Cine61Cine61Cine61Cine61

*Por Victor Almeida – Especial para o Cine61

Veja aqui o trailer do filme Simonal:


Simonal (Brasil, 2018) Dirigido por Leonardo Domingues. Com Isis Valverde, Billy Blanco Jr., Fabrício Boliveira, Caco Ciocler, Leandro Hassum, Mariana Lima, Bruce Gomlevsky…

não deixe de ler

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Publicidade

Veja também

Cinema Especial – Rebecca Hall

Rebecca Hall é um dos jovens talentos mais intrigantes do mundo. Hall pode ser vista como Caroline Crushing em Frost/Nixon de Ron Howard, filme...

Conheça o trabalho do cineasta Claudio Assis

Nascido em Caruaru (PE), Claudio Assis começou sua militância cultural como ator no Grupo de Teatro de Feira Caruaru. Fundou em 1993, a Parabólica...

Cinema Especial – Cate Blanchett

Cate Blanchett, que interpretou mais recentemente Irina Spalko no sucesso de Steven Spielberg, Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal, foi indicada...