Remake de comédia brasileira é sucesso na Coreia do Sul

Textos relacionados

O filme mais visto nesse fim de semana na Coreia do Sul, terra do badalado Parasita, é um remake da produção brasileira O Candidato Honesto. Honest Candidate estreou em 12 de fevereiro no país de Bong Joon-ho e já vendeu 909.000 ingressos nos primeiros cinco dias, à frente de Adoráveis Mulheres com 464.000 ingressos, segundo a revista Variety.

Parasita, que foi lançado em maio do ano passado na Coreia do Sul e já vendeu mais de 10 milhões de ingressos no país, ficou apenas no quarto lugar nessa semana. Sonic – O Filme, aguardada produção inspirada na franquia de games japonesa, também estreou em 12 de fevereiro, mas ocupou apenas o quinto lugar no ranking.

Em Honest Candidate, a atriz Ra Mi-Ran faz o papel de Leandro Hassum, de uma política que, depois de receber uma repreenda da avó no leito de morte, não consegue mais mentir. A versão sul-coreana foi adaptada por roteiristas locais, mas segue a estrutura do roteiro original de Paulo Cursino.

Após liderar a bilheteria brasileira de 2014 com 2,3 milhões de ingressos vendidos, o filme dirigido por Roberto Santucci e distribuído pela Downtown Filmes e Paris Filmes chamou a atenção do mercado mundial. André Carreira, CEO da produtora do filme, Camisa Listrada, foi procurado pelo agente de vendas Cinema Republic, empresa especializada na comercialização de remakes no mercado internacional. O primeiro licenciamento foi fechado com a produtora sul-coreana Soo Film e resultou na produção de Honest Candidate.

“As comédias não costumam ‘viajar’ bem, porque nem sempre as piadas são compreendidas numa outra cultura. Mas os remakes, com algumas adaptações e atores e língua locais, podem ter êxito, como é o caso desse filme,” afirma André Carreira. “Estamos em negociações com produtoras de alguns países para outros remakes de O Candidato Honesto.”

Para Roberto Santucci, o sucesso de Honest Candidate na Coreia do Sul mostra a força criativa das comédias brasileiras: “Acho que chegou a hora das nossas comédias serem reconhecidas não só pelo desempenho comercial, mas também pela qualidade das produções. Nos últimos 30 anos formamos roteiristas, produtores, diretores… talentos capazes de disputar a ocupação do nosso mercado interno e também espaço no exterior.”

“O sucesso na Coreia reforça o que sempre defendi, que é a força de um bom conceito,” ressalta Paulo Cursino. “O cinema brasileiro ainda trabalha pouco com bons high-concepts. Está aí a prova de que dá certo. A ideia de O Candidato Honesto tem tudo para funcionar não apenas na Coreia, mas em vários países, há universalidade ali. Sempre digo que o nosso cinema pode fazer muito mais do que ganhar menção honrosa em festival. Basta realmente desejar atingir o público.”

“É muito simbólico ter um remake feito na Coreia, que ganhou visibilidade mundial com a vitória de Parasita no Oscar. O modelo coreano para o audiovisual tem como premissa principal a conquista de mercado, modelo que deveria inspirar nossa política pública para o setor”, pontua Bruno Wainer, diretor da distribuidora Downtown Filmes.

não deixe de ler

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Publicidade

Veja também

Perfil – Conheça melhor o diretor José Padilha

Como documentarista, José Padilha dirigiu e produziu três filmes. Ônibus 174 foi exibido no Festival de Cinema de Sundance e venceu inúmeros prêmios de...

Cinema especial – Taylor Lautner

Taylor Lautner interpreta um lobisomem no meio de um triângulo amoroso humana/vampiro/lobisomem intensificado em A Saga Crepúsculo: Lua Nova após se estabelecer no fenômeno...

Tudo sobre o ator Paul Dano

Paul Dano, em um período relativamente curto, colaborou com alguns dos mais famosos roteiristas e diretores de sua geração. Em seguida aos desempenhos notáveis...